Região dos Lagos e Norte Fluminense

Jornal primeira hora Jornal primeira hora
Domingo , 23 de Nov 2014

Atualizado em 25/08/2012 00:00:01

Curso de marinharia é adiado pela Prefeitura de Búzios Buzianos se preparam para prova classificatória do Curso de Formação de Aquaviários mas prefeitura adia evento por determinação da Procuradoria Geral do Município

277709

Terminou em confusão a reunião ocorrida na quinta-feira (16), na Fundação Bem Te Vi, para realização da prova classificatória do curso de Formação de Aquaviários Módulos II e III, promovida pela Capitania dos Portos em parceria com a Prefeitura Municipal. De acordo com alguns candidatos, o motivo real do cancelamento da prova foi o excesso de candidatos de outros municípios trazidos pelos próprios agentes de Cabo Frio. 
Interessados em aumentar as chances de emprego no setor marítimo, 45 moradores da Cidade se mobilizaram durante meses junto a secretaria de Meio Ambiente e Pesca de Búzios e Capitania dos Portos em Cabo Frio para dar andamento aos trâmites legais e poderem participar como ‘pagantes’ do curso profissionalizante da Capitania, que este ano não foi realizado como nos anos anteriores. Porém, quando chegaram ao local da prova, na data e na hora marcada, os candidatos buzianos tiveram uma grande surpresa. Cerca de 100 pessoas de outros municípios estavam lá para disputar as 35 vagas oferecidas. - Foi um verdadeiro alvoroço! – disse Luiz Carlos Carvalho, Neneca, assessor do prefeito de Búzios e ex-presidente da Colônia de Pescadores Z-23.
Na tentativa de explicar o motivo de trazer tanta gente de fora para concorrer as 35 vagas, o sargento Moura da Capitania dos Portos em Cabo Frio alegou haver necessidade de corum para realização do curso, e declarou aos presentes que dos 45 buzianos inscritos só quatro ou cinco teriam condições de passar na prova de seleção. A declaração do agente acabou gerando grande polêmica, uma vez que alguns candidatos de Búzios se sentiram discriminados pelas autoridades. Depois da discussão os agentes da Capitania dos Portos se retiraram e a prova de seleção não aconteceu.
- Alguns dias antes da prova
tomamos conhecimento de que pessoas de outros lugares também iriam participar, mas não podíamos imaginar que fosse tanta gente, quase 100 candidatos para disputar as 35 vagas oferecidas pela Capitania. Cumprimos todas as exigências burocráticas. Muita gente deixou trabalho, pediu empréstimo, vendeu moto e barco para viabilizar o pagamento do curso que custa R$ 2.200,00 por aluno. Não é justo que a prova seja cancelada assim, sem mais nem menos. – disse inconformado o candidato Roberto Carvalhal de Moura, um dos organizadores do curso.  
De acordo com Roberto, qualquer pessoa pode se capacitar em aquaviário marítimo ou pesqueiro através de curso promovido pela Capitania dos Portos, que por sinal é a única credenciada para emitir o documento oficial. Mas para isso o candidato tem que passar por uma prova de nível fundamental, além do exame prático de resistência física e na água, para então concorrer as vagas de emprego.– Tentamos de todas as maneiras trazer o curso para Búzios mas este ano não foi possível, nem mesmo pagando! Ficamos muito decepcionados com o cancelamento por parte dos agentes da Capitania. E a prefeitura, por sua vez, nada fez para evitar o cancelamento. O desemprego na Cidade é grande e permitir que o curso não aconteça é falta de visão política – argumentou. 
Questionada sobre a suspensão do curso, a Agência da Capitania dos Portos em Cabo Frio esclareceu através de sua Assessoria de Imprensa que não transporta candidatos para processos de seleção afetos a cursos de Formação de Aquaviários. E que em relação ao adiamento da prova, foram feitos questionamentos legais por parte da Secretaria de Meio Ambiente e da Pesca de Armação dos Búzios, que serão avaliados pela Agência. – Uma nova data para realização da prova será divulgada posteriormente – informou a capitania.
A secretária de Meio Ambiente e Pesca de Búzios, Adriana Saad, disse em entrevista ao PH que o curso foi mesmo solicitado pelos candidatos em abril deste ano, mas devido ao período eleitoral a prefeitura municipal ficou impedida juridicamente de contratar instrutores e pagar despesas (sua parte na parceria). - Assim que passarem as eleições vamos reestabelecer o convênio com a Capitania e dar continuidade ao processo de seleção para a realização do curso solicitado, pois somente através da Associação de Pescadores, como os candidatos pretendiam, isso não é possível. A data será remarcada para o mês de novembro –
garantiu a secretária.    
No início da semana, a secretaria de Meio Ambiente e Pesca de Búzios divulgou uma nota aos interessados em participar do curso “Moço de Convés”, a ser realizado pela Capitania dos Portos, através da PMAB, que em virtude de determinação da Procuradoria Geral do Município, este não poderá acontecer durante o período eleitoral, conforme determina a legislação. E agradeceu a Capitania dos Portos a atenção e a presteza nas atividades executadas durante os anos de parceria.

De olho no futuro

O mercado de trabalho para os marítimos no Brasil vive cenário de pleno emprego, seja em nível básico, técnico ou superior. Quem afirma é a TRANSPETRO, subsidiária da Petrobras da área logística, uma das principais empregadoras de aquaviários no País e que tem em seus planos contratar 1.700 marítimos até 2013 por meio de concursos públicos. De acordo com a companhia, todas as pessoas que se formam como marinheiros ou oficiais de navios mercantes saem com emprego garantido numa das inúmeras operadoras de cargas atuantes no mercado. O aquecimento do setor é decorrente, sobretudo, do ‘Programa de Modernização e Expansão da Frota da Transpetro’ (PROMEF). Criado em 2004, o programa revitalizou a indústria naval com a encomenda a estaleiros nacionais de 49 navios que serão entregues até 2015. Com o desenvolvimento dos campos do pré-sal a demanda de navios, sondas, plataformas e barcos de apoio se torna cada dia maior.
 

Colaborador: Márcia Ribeiro

MAIS NOTÍCIAS

Voltar para Búzios Enviar para um amigo Imprimir

Copyright 1995-2010 Jornal Primeira Hora, Todos os direitos reservados.