Região dos Lagos e Norte Fluminense

Jornal primeira hora Jornal primeira hora
Sábado , 01 de Nov 2014

Atualizado em 31/10/2014 00:00:00

Vereadores antecipam eleição na Câmara de Búzios

Os vereadores Felipe Lopes, Gudu de Nair e Messias Carvalho encaminharam Projeto de Emenda à Lei Orgânica, dispondo sobre o processo de eleição da Mesa Diretora do Legislativo em Búzios.

Aprovado em sessão, fica modificado o artigo 37, parágrafo quarto da LOM, podendo ser colocado em pauta o processo de eleição entre as datas de 10 deste mês até 31 de dezembro.

O Regimento Interno da Casa também é alterado para compatibilizar com a nova redação da LOM.

Segundo um dos autores, o vereador Felipe Lopes, a medida desafoga a pauta da Casa logo no inicio do novo biênio de uma mesma Legislatura.

As articulações para a sucessão do vereador Leandro Pereira já se dão, já que o vereador não disputará um novo mandato na nova Mesa Diretora.

Saiba Mais

Cem Braças comemora o "Dia das Crianças"

Mesmo com uma semana de atraso, a Associação de Moradores e Amigos de Cem Braças (AMACEB) não deixou que o brilho da festa das crianças fosse ofuscado, e comemorou a data no domingo passado (19). Com muitas brincadeiras educativas, recreação, distribuição de guloseimas (cachorro-quente, picolé, balas, pirulitos, pipoca, algodão-doce), atrações infantis com a Tia Gaby, da Cia Animate, e distribuições de brinquedos oriundos de doações de comerciantes locais, a festa das crianças se estendeu durante todo o dia. Segundo Junior Borges, presidente da associação, devido à festa de Nossa Senhora Aparecida que é comemorado no bairro pela igreja Católica, ocorrida  dia 12 de outubro, junto com o Dia das Crianças, as comemorações foram adiadas, sem, contudo, perder o encanto.

- Quero agradecer a vocês do Jornal Primeira Hora, que são nossos parceiros, agradeço também a Hanna Caries, Carla Sant’anna, Vanessa do Projeto Tio Caixote entre outros. E vamos melhorar ainda mais- destacou Junior, como é mais conhecido.

Saiba Mais

Vida eterna ao mangue da Barrinha

Justiça de Búzios embarga e desembarga obra de drenagem em Manguinhos: moradores de condomínio estariam preocupados com lançamento de esgotos em águas pluviais
Saiba Mais

Prefeito quer dar dinheiro para Salineira enquanto Transporte Alternativo luta para sobreviver

Desde que introduziu as pressas a matéria ‘Mobilidade Urbana’ na agenda municipal, a atual administração tem se gabado de ser pioneira no planejamento do ir e vir dos buzianos e seus visitantes. Mentiras oficiais a parte, o governo André Granado tem feito ações com forte apelo de propaganda no que diz respeito a matéria, e parece engrossar a receita com o envio à Câmara Legislativa do Projeto de Lei nº 68/2014, que pretende instituir o ‘transporte social’ entre a Rasa e o Centro de Búzios.

Na sessão da Câmara da quinta-feira (23), na pauta os vereadores criticaram a inciativa do Executivo. Logo após a leitura do projeto, o vereador Lorram Silveira, secretário da Mesa, destacou um seriado de equívocos na medida que pretendia transferir à Auto Viação Salineira R$ 0,45 centavos de real, para ser abatido de uma tarifa de R$ 4,00, sem levar em conta outros modais de transporte como o transporte alternativo. Da bancada Lorram enfatizou a falta da boa técnica legislativa, na medida em que o projeto enviado pelo governo mistura (e confunde) tarifa social com Fundo do Transporte, com o agravante de, no texto do projeto de lei, não fazer qualquer menção ao impacto financeiro que a concessão do subsídio dado a Salineira terá nos cofres públicos. No projeto enviado ao Legislativo tão pouco foram descritos os processos de controle sobre o uso dessas receitas públicas.

Na mesma linha de argumento, o vereador Henrique Gomes, reclamando pela falta de isonomia,  chamou a atenção para o fato de que o Projeto de Lei apresentado pelo governo deveria estar no contexto do projeto de Mobilidade Urbana, ambiente no qual poderia ser tratada com mais critério e economicidade. Gomes acentuado que ‘a falta de licitação dos transportes públicos no Município, prejudica qualquer analise que se pretendesse fazer sobre o PL nº 168/2014.

 

Discussões prejudicadas

 

A vereadora Joice Costa lembrou seus pares e a assistência que acompanhava a sessão que o Mega Projeto Índio da Costa, fora vendido na mídia oficial como a solução para a Mobilidade Urbana em Búzios. Joice destacou que não ainda não há previsão de constituição, por parte do Executivo, do Conselho Municipal do Transporte, criado pela Lei nº 708/2009, mas revogado, ferramenta absolutamente necessária para que usuários, governo, e concessionária de transporte pudessem interagir, e discutir, sobre os cruzamentos temáticos da matéria mobilidade. Dentre as discussões que deveriam ser travadas no âmbito do Conselho Municipal do Transporte estariam também aquelas, consideradas vitais, que tratam sobre o valor da tarifa, as linhas operadas, e o  acesso da população aos modais.

Ratificando o que disseram anteriormente seus colegas a respeito das inúmeras falhas contidas no Projeto de Lei enviado pelo Executivo, o vereador Felipe Lopes reafirmou o que vem dizendo há algum tempo, quanto a baixa qualidade dos projetos enviados ao Legislativo, lembrando que a Câmara tem feito correções, quando possível, mas que no caso em analise, o Projeto de lei do executivo era tão ruim que nem sequer deveria ter sido levado a apreciação do colegiado.

Lopes ressaltou em sua fala da bancada que o ‘o projeto é uma manobra política (de marketing), uma vez que faltam remédios para a população, e vem o prefeito (André Granado) prometer repassar dinheiro a empresa de transporte’.

Apesar das duras criticas, feitas ao longo da apresentação da matéria, durante a Sessão de quinta-feira (23) o projeto foi encaminhado à comissão de Constituição e Justiça da Câmara

 

A saga da Rasa

 

Durante a sessão ordinária da última quinta-feira (23), representantes do transporte alternativo de Búzios, o presidente da CooperBúzios e e da CooperGeribá compareceram ao plenário para acompanhar o Projeto de Lei nº 68/2014, de autoria do prefeito André Granado, sobre o Programa de Transporte Social no âmbito do Município. Pela proposta o usuário dos ônibus que fazem a linha Centro-Rasa (307), pagariam R$2,50 para a Viação Salineira, enquanto o valor  restante da tarifa, R$ 0,45, seriam pagos pelos cofres públicos direto para a conta da empresa particular. Com o subsidio dado pelo governo para a empresa de ônibus, o valor desembolsado pelo usuário ficaria equivalente àquele gasto numa passagem de van.

Independente do que para muitos seria uma ‘concorrência desleal’, além de tratamento desigual para munícipes de outras áreas da Cidade não contempladas pelo projeto de Lei, caso a proposta do governo André Granado prosperasse, a transferência das verbas públicas (que não têm fonte orçamentária prevista no Plano Plurianual, nem no Orçamento Anual) estariam sendo feitas a uma empresa de ônibus que explora os serviços na Cidade, de forma precária, na condição de mera ‘permissionária’. O vereador Lorram Silveira apontou algumas falhas do projeto como a necessidade de apontamento de impacto financeiro do programa. Disse também que ele engloba a criação do Conselho e do Fundo de Transportes, quando, segundo ele, deveria ser tratado em projeto próprio.

Por outro lado, é matéria de amplo conhecimento publico, e assunto de diversas matérias no PH cobrando soluções, a dificuldade que os moradores da Rasa têm em pegar transporte coletivo. Motivo: vans lotadas e ônibus com uma tarifa alta, o que revela o descaso e a falta de implantação de qualquer planejamento para o setor, que exige, em linhas gerais, modais de qualidade e adequados aos trajetos a que se destinam, melhor distribuição de linhas, melhor frequência, maior oferta de horários, e melhor preços, não apenas para uma parcela da população, mas para todos. 

No Projeto de Mobilidade Ur-

bana do governo passado, de conformidade com a Portaria Conjunta do Planejamento e Ordem Pública, de 2012, o preço referencial para o bilhete único numa concorrência pública era de R$ 1,60.

 

Macaé: licitado, mas ainda com problemas

 

Licitado em março de 2013, e vencido pela empresa conhecida pela sigla SIT (Sistema Integrado de Transferências), o transporte público em Macaé está longe de atender aos atuais cerca de 300 mil habitantes daquela cidade. Com crescimento demográfico vertiginoso (no ano 2000 eram 120 mil habitantes; em 2010 contabilizavam mais de 200 mil e hoje são cerca de 300 mil), o usuário do sistema público de transportes enfrenta longas filas, e nem a tarifa de R$ 1,00 (era R$ 3,16) serve para acalmar parte da insatisfação. Apesar dos 300 ônibus que circulam pela cidade, atendendo 36 linhas, o universo de usuários não passa de cem mil, o que, comparando com Búzios é bastante, mas insuficiente para uma cidade que cresce a cada dia. Como conseqüência, assim como ocorre aqui, considerando que em Búzios ainda não houve a licitação dos transportes públicos, em Macaé alguns pontos lotados em determinadas linhas fazem com que muitos coletivos passem direto, deixando passageiros sem embarcar para seu destino.

Outro problema enfrentado pelos macaenses é o volume de carros nas ruas e o trânsito que eles provocam. Enquanto em Búzios temos um total de 14.584 veículos emplacados, sendo 8.160 carros, em Macaé o DETRAN tem em seus registros cerca de 150 mil.

Criado em 2013 o Conselho Municipal Mobilidade Urbana e Transporte de Macaé  (COMMURT) é o órgão que faz o controle social da gestão das políticas de trânsito e transporte do município. O Conselho tem caráter consultivo, fiscalizador e deliberativo.

Diferentemente do que pretendeu o governo de Búzios com o projeto de lei encaminhado esta semana ao Legislativo, em Macaé o subsidio ao transporte público é universalizado, e atende todos os usuários, de todas as linhas, em todos os dias, e horários.

Saiba Mais

Geribá tem noites estreladas

Festival que reúne grandes chefs da cozinha francesa no Hotel Le Relais La Borie chega a sua Grande Noite de Gala
Saiba Mais

Modelo de inclusão social dos idosos

Inaugurado em janeiro deste ano pela secretaria municipal de Desenvolvimento Social Trabalho e Renda, o Centro de Convivência do Idoso de Búzios, que presta serviços aos moradores da Cidade de ambos os sexos com mais de 60 anos, está sendo considerado um modelo de assistência voltado para a terceira idade. Formado por profissionais especializados neste tipo de público, o CCI como é chamado, funciona de segunda a sexta-feira, das 07h00 as 17h00 com uma série de atividades físicas que visam prevenir doenças e levantar autoestima dos quase 400 idosos frequentadores. 

- O CCI foi inaugurado no dia do meu aniversário. Considero esse trabalho como um verdadeiro presente. Conviver com os idosos aqui é bom demais, é uma alegria para todos. O espaço funciona como um pequeno clube onde é possível desfrutar de um café da manhã, um chá da tarde, festas de aniversário, eventos temáticos, tudo com muita interatividade e animação. Na última sexta-feira de cada mês temos um baile à tarde, é uma troca de energia imensa - fala animada a secretária da pasta, Claudia Carrilho.

 

Mulheres são maioria na unidade

 

Apesar de ter sido criado para atender homens e mulheres com mais de 60 anos, é o público feminino que predomina no CCi, tanto que Claudia Carrilho já pensa em criar estratégias para atrair mais pessoas do sexo masculino: - A partir do ano que vem vamos começar uma busca ativa atrás do público masculino, orientada por psicólogos. Nós percebemos que a maioria dos homens mantêm certa resistência principalmente em relação a hidroginástica e a Ioga, que fazem um bem enorme. É certo que existe ainda um pouco de preconceito da parte deles, mas nada que não possa ser trabalhado pela equipe - afirma.

- Todas as atividades são planejadas por especialistas e muito prazerosas, tendo em vista que se trata de um público bastante exigente. A hidroginástica é o nosso carro chefe, mas temos também ginástica aeróbica e alongamento, aulas de artesanato, de teatro, da dança, de canto e em breve teremos o nosso próprio coral. Este ano realizamos o concurso de Miss Simpatia Búzios 60 +, na Privilege, um sucesso de audiência. No momento estamos nos preparando para uma exposição de fotografia que ocorrerá no início de novembro. Em dezembro, sob a regência do maestro Moisés, apresentaremos um Auto de Natal na Praça Santos Dumont – diz o coordenador do CCI, Nilton Cesar.  

- Frequento o CCI desde o início e posso dizer que a equipe é que faz do lugar um oásis e não falto um dia sequer. Niltinho está no lugar certo. Ele é atencioso, calmo e está sempre bem humorado. Claudia me surpreendeu, salta aos olhos que ela faz este trabalho com o maior prazer. Os professores são ótimos, principalmente o Marcio Valente, com as aulas de dança, e os funcionários são muito queridos por todos nós – ressalta Maria Luiza, de 69 anos.

Maria de Lourdes, que também participa das aulas de dança na unidade, acredita que o convívio com novas pessoas e a integração por meio das atividades são capazes de devolver aos idosos a alegria de viver. - Aqui é maravilhoso, a gente faz amizades. Gosto de todo mundo. Estamos vivendo mais, mas isto não nos basta. O importante é viver com qualidade, relacionando-se com outras pessoas, estimulando mente e corpo. Este trabalho o CCI de Búzios está fazendo com muita eficiência – completa.

O Centro de Convivência do Idoso fica na Av José Bento Ribeiro Dantas, em Manguinhos, em frente a Engeluz. - O lugar é de fácil acesso e quem quiser se cadastrar basta apresentar os documentos e passar por uma avaliação médica para começar as atividades. Depois de se inscrever é só começar frequentar e ser feliz – avisa a secretária Claudia Carrilho.

Saiba Mais

Ex vice prefeito é campeão de votos em corrida para a ALERJ

"Minha meta agora é contribuir para a eleição de Crivela, que tem planos para Búzios" - Alexandre Martins
Saiba Mais
+ VER ARQUIVOS ANTIGOS

Copyright 1995-2010 Jornal Primeira Hora, Todos os direitos reservados.