Região dos Lagos e Norte Fluminense

Jornal primeira hora Jornal primeira hora
Quinta-feira , 28 de May 2015

Atualizado em 22/05/2015 00:00:00

noticia

Búzios recebe V Fórum Regional de Fortalecimento do Turismo

Incremento de programas para qualificação de mão de obra, ações de marketing conjuntas com o governo do estado, melhores acessos rodoviários e aeroviários, fazem parte das cerca de trinta reivindicações encaminhadas por representantes do setor na Região
Saiba Mais

Esclarecimentos sobre a contribuíção de iluminação pública (cip)

Diferentemente do que foi publicado na edição passada, o referencial para a base de cálculo do valor a pagar de contribuição de iluminação pública, é a Unidade Fiscal de Participação Municipal (UFPM), equivalente a R$ 2, 10. O valor da Taxa de iluminação a ser considerado então é residencial bifásico 9,73, que passa pela nova proposta para 4,73 UFPM. O trifásico residencial que estava a 29,20, e de acordo com a matéria votada em primeiro turno, passou a valer 9,51 UFPM. O monofásico que, pela proposta do governo estava a 2,38 UFPM, continuará isento, depois das emendas propostas pelos vereadores. Outros valores cobrados em áreas rural, comercial e industrial também tiveram seus valores reduzidos. Para saber o valor a pagar em cada conta de energia elétrica basta multiplicar o valor da UFPM pelo valor da moeda corrente.

 

Entenda a ‘queda de Braço’

 

De acordo com informações, pela Lei antiga (2009) a arrecadação com o tributo estava na casa de R$ 1.7 milhão ao ano. Com a mudança aprovada no final de ano de 2014 a arrecadação chegaria a R$ 3.5 milhões.  Por conta do aumento da tarifa de energia no país os valores arrecadados passariam para algo em torno de R$ 8.5 milhões, ao ano.  As despesas correntes com a manutenção da iluminação pública são cerca de R$ 2.5 milhões anuais. A mudança proposta pelos vereadores visa corrigir as distorções provocadas pelo aumento ocorrido na produção de energia no país, após o aprofundamento da crise hídrica ocorrido este ano, e no segundo semestre do ano passado.

 

 

Escuridão em tempo de cip nas alturas

 

Em tempos de discussão sobre os efeitos bastante negativos no bolso do contribuinte, em contraponto aos efeitos muito positivos no orçamento público, a contribuição para a iluminação pública (CIP) continua a gerar muitas discussões, e algumas denúncias de moradores, tanto em bairros distantes, como aqueles mais centrais.

É o caso de contribuintes que moram na Rua Mario Bulhões Pedreira Neto, no Centro de Búzios. Como mostram as imagens feitas no local na noite de terça feira (19), apenas dois postes estão com iluminação; um no inicio da rua, outro no final. Os outros, apesar do braço de luz, estão com lâmpadas apagadas.

A rua em questão, abriga residências e comércios como o McDonald’s, cafés e lojas diversas. A área, quando em condições de normalidade, costuma ser muito visitada e frequentada por turistas e moradores. Entretanto, do jeito que está, a escuridão desencoraja pedestres de se aventurarem por ali.

De acordo com pessoas que pediram para não serem identificadas, a falta de iluminação estaria propiciando a ocorrência de venda e consumo de drogas, bem como o uso do local como mictório.

 

Saiba Mais

Moradores colhem assinaturas para aprovar programa de orçamento participativo

O que deveria ser iniciativa do Executivo visando dar à população a possibilidade de participar da construção do Orçamento da Cidade, teve nos moradores de Búzios tal iniciativa.

A Lei de Iniciativa Popular que visa arrecadar assinaturas (5%) do total de eleitores do município (aproximadamente 22 mil eleitores) já está sendo colocada nas ruas por moradores preocupados com a falta de participação no Orçamento Municipal.

É bom lembrar que a Comissão de Orçamento e Licitação da Câmara de Búzios que tem na presidência Lorram Silveira, Messias Carvalho e Gugu de Nair como membros, têm levado à discussão as comunidades, porém, como o Orçamento tanto no ano de 2013 e 2014 chegou com enorme atraso ao Legislativo enviado pelo Executivo, o tempo hábil não permitiu discutir a exaustão, com a participação de moradores de uma forma geral, as suas demandas.

A frente do movimento está Alessandri Adriano, Geovane Candido, Ricardo Atiê, Rodrigo Soares e Luciana Passos dentre outros e ficou denominado como ‘Movimento Participação Popular Búzios’.

Contando com apoio da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-Búzios), ASFAB e Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável (CIEDS), são muitos os locais nos quais as pessoas podem assinar a lista. Confira; Tropical Lanches em Cem Braças; Artesanato Búzios - Luciana Passos (em frente ao Rei do Mate, Manguinhos); Cyber Café do João Felipe - Vila Caranga; Associação de Moradores Vila Verde, com  Vanderlian .

Os moradores que estão à frente da organização para coleta de assinaturas estão indo nas casas de diversos bairros para que a proposta tenha êxito, num curto espaço de tempo.

- Desde que ocorreu a emancipação, nenhuma ação nesse sentido deu entrada com este tipo de demanda junto a Câmara de vereadores. Se essa campanha obtiver o resultado esperado, será a primeira a ser organizada na Cidade -, disse Ricardo ao PH.  (GB)

 

Saiba Mais

Uriel deixa a câmara de vereadores na quinta-feira (28)

Na próxima quinta-feira (28) o vereador Uriel Pereira dará lugar ao vereador do PSC, José Marcio dos Santos, mais conhecido como ‘Zé Marcio do Boom’, que até o dia 31 de maio responderá pela pasta do Turismo na Cidade. Uriel que na última eleição conquistou a 1ª suplência da sua coligação com 430 votos, assumiu a vaga após o titular ser deslocado para o Executivo.

Uriel, que nos dois primeiros anos foi Líder de Governo na Câmara, cedendo esse espaço depois para o vereador Genilson Drumond, em fins de 2014, define sua passagem na Casa como uma espécie de ‘ponte’ entre os poderes Legislativo e Executivo, dado a sua amizade com todos os vereadores. Homem de diálogo, conta que as quatro eleições que participou, nas quais foi eleito em duas, e em outras duas ficou como suplente, o fez evoluir na construção de alianças e de uma maior visão da Cidade em que nasceu.

-Sabemos que politica é grupo, não se faz nada sozinho. Meus colegas aqui na Câmara sempre tiveram a sensibilidade de me ouvir; o mesmo apoio tive do Executivo. Não gosto da politica da rivalidade, primo pelo debate, quando ocorrem divergências de ideias, que é saudável, para que possamos chegar a um denominador comum. Temos que ter o bom senso da percepção de o que é melhor. em termos de ações para a população que nos elegeu. Saio do Legislativo de cabeça erguida e sinto que a minha missão continua em prol dos que acreditam no meu trabalho. Quero aproveitar e agradecer ao prefeito, aos meus colegas vereadores, a minha família, a Deus, e também a vocês da imprensa que são de suma importância para a democracia a para a nossa população, em especial ao PH, que acompanha nosso trabalho diariamente aqui na Câmara externado a sociedade o nosso dia a dia de legislatura.

Existem muitas especulações sobre o destino de Uriel Pereira, mas o próprio, como lhe é peculiar, não comenta possibilidades.

 

Saiba Mais

Vereador Gugu de Nair pede carro e psquiatra para o CAPS

Após visita de Gugu, vereador Felipe Lopes vai ao local nesta terça-feira e é surpreendido por paciente que pede medicação a ele
Saiba Mais

Projeto da prefeitura de novos quiosques na Ferradura não agrada permissionários

Um projeto para a instalação de novos quiosques na orla da Ferradura foi apresentado pela prefeitura de Búzios aos comerciantes que tiveram seus quiosques demolidos no ano passado por determinação do Ministério Público Federal. A reunião aconteceu na tarde de quarta-feira (19) no gabinete do prefeito, e contou com a presença dos vereadores Lorram Silveira e Genilson Drummond. O vereador Gugu de Nair que também integra a comissão do Legislativo que acompanha o caso, não compareceu.

De acordo com o vereador Lorram, não houve avanços nas negociações entre quiosqueiros e prefeitura, apesar do projeto apresentado na reunião atender a todos os requisitos legais: – O projeto prevê a criação de quatro quiosques apenas, e a Prefeitura não soube informar se isso se daria através de uma concessão ou permissão. Ficaram de ver com os procuradores do município. Já estamos caminhando para as férias de meio de ano e nada foi resolvido até agora. Com isso, perde o trabalhador, perde o turista e o município. As próximas reuniões serão agendadas com a Procuradoria e com o Ministério Público Federal – disse Lorram ao PH.

- Tempos atrás apresentamos o nosso projeto a Prefeitura, que foi protocolado, mas não foi aceito. Eles optaram pelo projeto de Índio da Costa para orla da Ferradura. Tínhamos a esperança sair da reunião com tudo decidido, mas não foi o que aconteceu. O prefeito deixou claro que não é prioridade do seu governo fazer quiosques, além do que não existe a verba para isso. Achei lamentável porque vamos passar mais um verão sem estrutura nenhuma na praia da Ferradura. Nós tínhamos ducha, banheiros, e toda uma estrutura para atender famílias com crianças e idosos. Sei que o saneamento é muito importante para Búzios, mas o Turismo é a mola mestra. Um e outro têm que andar juntos – declarou Silvio Cesar, presidente da Associação de Quiosqueiros da Ferradura.   

- O projeto apresentado pelo prefeito André Granado aos quiosqueiros não agradou em nada. São quiosques geminados, na forma de ‘barquinhos’ e em número bem menor do que somos (nove), com uma configuração que não permite oferecer quase nada do cardápio que servíamos. Além disso, todos sabem que os turistas não gostam de usar os banheiros químicos. Se depender dessa prefeitura, é certo que não vamos mais ter quiosques nas praias – afirmou Luiz Carlos Carvalho, ex-proprietário de um quiosque na praia da Ferradura, depois de participar da reunião. 

Saiba Mais

Vereador cria projeto de lei para acabar com som alto em transporte coletivo

Alguns usuários do sistema de transporte alternativo fazem uso de dispositivos sonoros, sem fones de ouvido, e divulgam músicas de caráter sexista, machista e que em alguns casos fazem apologia ao uso de drogas e emprego de violência
Saiba Mais
+ VER ARQUIVOS ANTIGOS

Copyright 1995-2010 Jornal Primeira Hora, Todos os direitos reservados.