Região dos Lagos e Norte Fluminense

Jornal primeira hora Jornal primeira hora
Sábado , 20 de Dec 2014

914154

Espera de 38 anos

Brasil vence mundial de Surf

>>opinião

Búzios - Pobre cidade rica

O IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - divulgou o Produto Interno Bruto dos Municípios 2012, um projeto desenvolvido em parceria com os órgãos estaduais de estatística, as secretarias estaduais e a SUFRAMA - Superintendência da Zona Franca de Manaus, mostrando a participação dos municípios no PIB nacional e seus respectivos Estados, o PIB per capita e os dados dos três setores da atividade econômica: indústria, agropecuária e serviços. 

O PIB Produto interno Bruto, é a soma em valores monetários de todos os bens e serviços produzidos em uma região (país, estado, município), durante um período específico. O PIB per capita, é calculado a partir da divisão do PIB pelo número de habitantes de uma região e indica quanto cada habitante produziu num dado período. O valor per capita, é o primeiro indicador utilizado para analisar a qualidade de vida de um país ou uma cidade.

De acordo com esses dados, a soma da renda de apenas 324 dos 5.565 municípios brasileiros (dados de 2012), respondeu por 75% do PIB em 2012. E, entre 5,8% desses municípios (seis deles capitais), que concentram a grande parte da geração de renda do Brasil, encontramos Armação dos Búzios ocupando o 250º lugar – com o PIB de 2 bilhões 460 milhões e 753 mil reais e um PIB per capita de R$ 84.932,64 – que é o 7º do Estado do Rio de Janeiro.  

Esta posição, colocou Búzios à frente de algumas importantes cidades do estado e de muitas outras do Brasil, provocando de imediato uma gritante indagação: Como é possível justificar a péssima qualidade de serviços e de uma gestão municipal tão precária, através de todos esses anos, diante de tamanha renda gerada por uma cidade, com uma atividade turística tão intensa e possuindo apenas 30 mil habitantes permanentes?

A resposta parece ficar explicita, na leitura do último parágrafo da recente sentença da Justiça de Búzios, que condenou seu atual prefeito por improbidade administrativa: “Em suma, os três únicos cidadãos que exerceram a prefeitura desta cidade, o atual e os dois anteriores, já foram condenados por atos ímprobos, quando este Município, cujo território fora desmembrado do Município de Cabo Frio, possui apenas 19 anos de existência político-administrativa.” 

Diante desta dura realidade, a população, que aceitou a responsabilidade pela escolha dos seus gestores, estaria agora questionando, como é possível estabelecer mecanismos de controle, para garantir que seus representantes no poder Executivo e Legislativo, possam reverter o quadro das irresponsabilidades a que se sujeitaram, por confiarem em políticos que parecem nunca se preocupar de fato com o futuro da cidade.

Isso é um absurdo a ser corrigido e uma vergonha nacional, por fazer este jovem município investir apenas entre 4 a 6% do seu orçamento anual, como vítima de um destino terrível, sob a pena dos riscos desses malfeitos assumirem uma escala insuportável. Pois, durante a próxima gestão (2017-2020), o seu futuro prefeito será responsável pelo gerenciamento de um orçamento municipal que irá ultrapassar a R$ 1 bilhão, em apenas quatro anos.  

O noticiário diário que vem expondo o combate à corrupção endêmica, a que o Brasil se sujeitou durante anos, aponta sempre para uma mesma direção: ‘Acabar ou minimizar, a ocorrência dessa corrupção generalizada e restabelecer um mínimo de dignidade e respeito ao serviço público, como descrito no Artigo 37 da Constituição, que estabelece as regras e os princípios contidos no direito administrativo, também conhecido como LIMPE: Legalidade, Impessoalidade, Moralidade, Publicidade e Eficiência.’ 

 

José Carlos Alcântara é consultor de empresas e colaborador do jornal Primeira Hora

 

 

Municípios com um PIB superior a R$ 2 bilhões

 

246    Jaú                                            SP     2.486.939

247    Lucas do Rio Verde                  MT    2.483.215

248    Guaratinguetá                           SP     2.475.497

249    Sobral                                       CE     2.462.619

250    Armação dos Búzios                  RJ      2.460.753

251    Caçapava                                  SP     2.455.286

>>brasil em foco

914154

Espera de 38 anos

Brasil vence mundial de Surf

>>turismo

427581

Búzios perde escalas de navio: armadores alegam problemas com pontos de fundeio

Cia marítima comunica que suspenderá as escalas que faria em Búzios na temporada 2014/2015

>>esporte

276214

Secretaria de Esportes não assume compromisso e quem paga a "conta" é a SEB e Liga de Búzios

Entre os meses de agosto e setembro o Centro Cultural Esportivo Ação, que há 15 anos promove uma série de eventos no Rio de Janeiro ligados a inclusão através do Esporte realizou uma competição de futebol feminino onde a premiação para o vencedor seria um final de semana em Búzios, quando realizariam uma partida amistosa com a equipe feminina de Búzios para entrega dos troféus e medalhas aos vencedores do campeonato, que seria no dia 14 de dezembro (domingo). O time do Iate Clube Jardim Guanabara da Ilha do Governador foi o vencedor da competição.

Por volta do final de setembro para início de outubro, Mauro Tenório da Conceição, organizador do evento e presidente do ‘Ação’ entrou em contato com a secretaria de Esporte e Lazer de Búzios, onde a funcionária conhecida como ‘Claudinha’, assegurou que estaria tudo certo para a realização do evento.

Tudo confirmado, Mauro então alugou hospedagem para 40 pessoas no Búzios Internacional, no Centro e fretou um ônibus para trazer as campeãs, juntamente com um time masculino da sua instituição, a fim de realizar o ‘sonho’ de algumas meninas que era conhecer Búzios. O que ele não contava é que a aproximadamente 10 dias da realização do evento, ao ligar para ‘Claudinha’, recebeu a alegação que tudo estaria cancelado por motivos internos da secretaria.

Desesperado com tal situação, o presidente da Ação recorreu a Liga Carioca de Futebol Amador do Rio de Janeiro a qual a Liga Desportiva de Búzios pertence e que tem, como presidente José Eduardo Carvalho, para pedir a intervenção dessas, a fim de solucionar tal problema.

Ao chegar numa reunião marcada no Rio da liga no dia cinco de dezembro, ‘Zé Eduardo’, como é conhecido foi logo interpelado pelo vice-presidente da liga estadual ‘Dr. Plínio’, e apresentado a Mauro, para que juntos pudessem chegar a uma solução. Preocupado com o nome de a Cidade ficar em situação ruim, Zé Eduardo entrou contato com o presidente da Sociedade Esportiva de Búzios (SEB) , Pitalô, e  decidiram então assumir tal compromisso,para que tudo se realizasse e a frustração não tomasse conta da equipe do Rio.O acertado era que a secretaria de Esporte de Búzios se responsabilizaria pelo almoço da equipe do Rio e estrutura para a realização da entrega da premiação, o que foi assumido então por Zé Eduardo e Pitalô.

 

Evento foi um sucesso

 

Durante todo o domingo (14), o campo da SEB foi palco de um evento há tempos não visto em Búzios, e contou também com a participação de um time feminino de São Pedro da Aldeia que enfrentou uma equipe feminina do Rio, que também fazia parte do elenco do Iate Clube Jardim Guanabara, além de uma partida masculina de veteranos que chegaram ao domingo pela manhã do Rio e jogaram contra o time da SEB.

-Nossa preocupação foi com a imagem de Búzios. Como estou presidente da Liga Esportiva de Búzios, não poderia ter outra atitude senão manter o compromisso assumido. Procurei Pitalô e ele resolveu me ajudar e juntos realizamos o evento, onde servimos almoço, ele inclusive alugou mesas e cadeiras trazendo mais conforto aos visitantes. Tudo aconteceu numa grande harmonia e nisso tudo, quem ganhou foi nossa Cidade - relatou Zé Eduardo.

 

>>búzios

Passeio Frustrado
Escunas e barcos de turismo são impedidos de trabalhar com ventos acima de dez nós

"Covardia e perseguição política não vão me calar"

Esse desabafo veio da professora de Português Denize Alvarenga, diretora, do Sindicato dos Professores do RJ (SEPE-Lagos). Ela, que passou no último concurso de Búzios, teve que recorrer a Justiça para poder ingressar no cargo, percebendo que pessoas que não tiveram a mesma colocação que a sua (9º lugar) estavam  também buscado o direito através de Mandato de Segurança. Como já era professora do Estado e percebendo a possibilidade da prefeitura recorrer das ações, Denize somente resolveu pedir o desligamento da sua matrícula depois que foi definitivamente efetivada em Búzios através de Nomeação no  Boletim Oficial, já que a prefeitura não havia publicado a sua Nomeação ainda.

Após sair oficialmente a sua Nomeação - mesmo manifestando seu desejo de permanecer em Búzios - foi aberta pela prefeitura de Búzios uma Comissão de Inquérito na qual os membros a informaram que ela teria 10 dias para se desligar oficialmente do Estado. O ato então é confirmado por Denize que apresenta seu requerimento dentro do prazo estabelecido pela Comissão. Apesar disso o  Prefeito, sem levar em conta  que existem inúmeros atos a serem publicado pelo governo, e que o caso da professora cumprira os trâmites normais como os outros, a exonerou, apesar dela  ter cumprido todas as exigências. Para piorar o quadro, conforme a própria professora informou, suspenderam seu pagamento de dezembro. ‘Não consideraram nem os dias trabalhados antes da publicação da exoneração’, disse.

É bom lembrar que desde o início da administração André Granado, quando exercia a função de secretário de Educação, Claudio Mendonça, aconteceram várias manifestações contra a situação caótica que se encontrava a Educação do município com falta de professores, de material didático, merenda vencida, falta de uniforme dentre outras questões que ainda persistem, mesmo com a saída do então secretario. A diretora do SEPE - juntamente com a ASFAB e UMEAB - organizou diversas manifestações a atos de protesto em busca de uma Educação de qualidade e isso pode ter contribuído para que, no entendimento da professora, esteja em curso uma perseguição política movida pelo Prefeito André contra ela.

Na terça-feira (16), a professora recorreu á Câmara de Vereadores onde esteve com o presidente, Leandro Pereira, e com os vereadores Felipe Lopes e Henrique Gomes. Em protesto, foi requerido o uso da da Tribuna da Casa, de onde   Denize relatará o ocorrido e anunciará novas denúncias na Sessão do dia 23.

De acordo com informações, seu caso já teria sido encaminhado para a Comissão Legislativa de Direitos Humanos, e de Educação, para analise.

Vereadores rebatem acusação de Guarda Ambiental e ajuízam ação contra ele

Os vereadores querem que "Morel" cite qual vereador participa da "quadrilha da pesca predatória"

Esmalteria, Vida Nova na Rasa

Ao descer do Cruzeiro em direção a Praça da Rasa, uma pequena loja vem chamando a atenção de turistas e atraindo olhares de moradores de Búzios. A Esmalteria Vida Nova,  apaixona a primeira vista e vem conquistando famosas com  sua decoração leve, arquitetura diferenciada e excelentes serviços. Inaugurada no dia 09 de maio de 2013, ofereceu em grande estilo, um coquetel para amigos e clientes no aniversário em que completou um ano. Renata Nogueira, em Búzios há cinco anos, e Jurema Nogueira, sócias da empresa, comandam unhas e cabelos. 

A ideia surgiu quando Renata teve a visão de montar na Rasa uma loja, construída por Luciano dos Santos, com as características dos salões de beleza localizados nos pontos mais sofisticados da cidade. ‘A Rasa vem crescendo com uma velocidade tremenda. Vários novos espaços estão sendo inaugurados e outros estão sendo reformados. O público está se tornando mais exigente e atento aos detalhes dos serviços. Vimos um segmento de mercado promissor’ explica Renata, que vem servindo de fonte de inspiração para comerciante das redondezas.

A Esmalteria oferece entre os serviços habituais de cabeleireiro, alongamento de cílios, depilação, escovas, decoração e alongamento das unhas.  Renata, que é designer, criou uma estampa exclusiva para decorar as unhas de suas clientes como marca de seu trabalho. Com uma variedade de cores de esmaltes capaz de despertar a imaginação da clientela, o momento da escolha é sempre uma experiência a parte: perolados, mates e vernizes, dividem-se em diferentes marcas que vão dos esmaltes comuns aos hipo alergênicos. 

Simpatia e bom gosto estão presentes em meio a todos os serviços prestados. Vale a pena conferir.

 

Funcionamento: Terça a Sábado

a partir das 11h. É necessário agendar.

Contatos: (22) 999.297.797 e 997.073.423

Uma mulher em super ação

Davínea Kettermann é uma mulher em movimento. Ela age, conquista e realiza. Seu contagiante dinamismo é revelado em suas atitudes e constatado na sua marcante e decidida personalidade. Chegou a Búzios há 15 anos e desde então vem construindo uma história de sucessos e de muito trabalho. Empresária nas áreas de hotelaria e de eventos, designer de interiores e de paisagismo, é também professora de formação acadêmica. Sobre sua vasta experiência ao longo de 13 anos no setor hoteleiro, Davínea traduz com a precisão de uma única frase sua visão sobre este efervescente mercado em constante expansão: ‘A hotelaria está sempre em tempestade’, afirma, com bom humor.

À frente do Hotel D. Quijote (situado no privilegiado endereço na entrada da Estrada da Usina) junto com o empresário e proprietário, Egídio Kettermann, iniciou um grande projeto que levou ao chão toda a estrutura física de 25 anos do hotel a fim de atender as mais recentes e modernas tendências de mercado. ‘O projeto de decoração foi criado e inspirado no rústico elegante, com madeiras ecológicas de reflorestamento e optamos por investimentos na política ambiental de reutilização da água e sua economia, além de alta tecnologia’, explica Davínea, que tem no hotel uma das suas melhores apresentações profissionais. O D. Quijote conta hoje, com belos jardins internos, 56 apartamentos, 29 unidades de modernos lofts, 14 suítes masters de luxo, 9 lojas, cafeteria e um amplo estacionamento privado em seu espaço, tudo em um ambiente de harmonia, conforto, limpeza e muita beleza. Davínea é detalhista e acredita que é extremamente importante e necessário repaginar com muito estilo devido aos novos conceitos de Hotel Boutique que predominam atualmente e que vêm elevando os padrões hoteleiros.

Na área de eventos promoveu a comemoração dos 230 anos de aniversário da histórica Solar Lopes Ferreira, localizada no município vizinho, Barra de São João, e vem realizando casamentos em Búzios assim como organizando grandes festas.

Ela não pára. Seu próximo passo já está definido e bem planejado: uma base no Rio de Janeiro para expandir sua área de atuação como designer, ampliar seus negócios e fazer novos contatos no crescente mercado de eventos. Uma ponte Búzios – Rio que alguns empresários de sucesso na cidade conhecem muito bem. Atualmente está dividida entre sua sala no hotel e o home Office montado em sua casa.

Davínea é evangélica atuante e tem dois filhos, Diego e Iago Guimarães. Uma mulher que, como tantas celebridades do panorama mundial, encontra tempo para cuidar da sua imagem, da sua família, da vida espiritual e literalmente desce do salto ao envolver-se nas campanhas de caráter social. Participou de mobilizações na cidade tais como distribuição de alimentos, agasalhos e presentes no Dia da Criança e no Natal.

Em meio a tanto movimento, uma pequena pausa. Entre uma água e um café, com a entrevista agendada para oito da manhã, um tanto atípica para os padrões de horários da península, ela está simplesmente pronta para mais um dia. Arrumadíssima e muito elegante, segue em frente, com o olhar totalmente focado para seus novos projetos e outra jornada de trabalho.

 

Davínea Kettermann

Nextel (22) 7835-7693  ID 55*920*22750

WhatsAPP 22- 998.986.357

E MAIL: dkdecore@gmail.com

Cadê o "ecoponto" que estava aqui?

Não é de hoje que moradores e turistas reclamam da falta de postos de coleta de materiais recicláveis em Búzios. O governo passado chegou a implantar dez eco pontos para que as pessoas tivessem onde depositar voluntariamente o material a ser recolhido e encaminhado para reciclagem, mas segundo o presidente da Cooperativa Catadoes de Recicláveis, fundada há quatro anos, o ex-secretário do Meio Ambiente e Pesca de Búzios, Carlos Muniz, teria acabado com o projeto deixando o município desprovido do serviço. Inconformado com a retirada do ponto de coleta que ficava na Estrada da Usina, ao lado da secretaria da SEMAPS, o morador Jorge Tenório desabafou: - A Cidade Inteligente não faz coleta seletiva do lixo. Há seis meses venho reclamando com a prefeitura e só ouço desculpas. Quando o mundo inteiro se mobiliza para fazer a seleção dos materiais, o município de Búzios manda toneladas e toneladas de lixo todo misturado para os aterros sanitários.

- O atual secretário municipal do Meio Ambiente, Fábio Dantas, ainda não conseguiu reativar o projeto de reciclagem em Búzios. Muitos eco pontos estavam danificados devido ao tempo de uso e por isso foram retirados. Estamos aguardando há meses a secretaria mandar reformar as cabines de coleta e devolvê-las a Cidade. É que a lei que rege essa questão, chamada de Política Nacional de Resíduos Sólidos, responsabiliza quem produz, quem comercializa, e até quem consome esses materiais, mas a coleta seletiva mesmo é de responsabilidade das prefeituras, principalmente da secretaria de Meio Ambiente. Hoje a cooperativa recolhe ao mês cerca de 60 toneladas de material reciclável na Cidade, e é muito importante que veículos de comunicação de expressão como o PH abracem essa campanha, usando inclusive o símbolo da reciclagem em suas páginas, – fala o presidente da Cocare, Ivan Ferreira Vasconcelos.

Com prazo para ser implantada nos municípios até 2015, a Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305/10), aprovada em 2010, foi discutida por quase 20 anos no Congresso Nacional. Embora seja considerada por especialistas como uma boa lei, existe uma preocupação sobre sua efetividade, já que ela exige uma participação ampla da sociedade. Além disso, ela traz obrigações para ministros, governadores, prefeitos e também para empresários e consumidores, por isso é chamada de Lei compartilhada. De acordo com a Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública (Abrelpe), mais de 90% dos resíduos sólidos urbanos do Brasil hoje já são coletados. Mas em alguns municípios, a prática ainda é queimar ou enterrar o lixo. A Lei considera resíduo sólido o lixo que tem valor econômico e pode ser reciclado ou reaproveitado. Já o chamado rejeito é o lixo que não pode ser reciclado ou reutilizado.

- As pessoas mostram total desconhecimento ao afirmarem que o lixo reciclado é muito rico. A coleta seletiva custa o dobro da coleta comum porque o caminhão pega tudo, prensa e depois joga fora de uma só vez. Já na reciclagem temos que levar o material para um centro de triagem, fazer toda a separação dos recicláveis, para depois então prensar e encaminhar cada item para ser reciclado. Para quem não sabe, o valor de mercado desses materiais é baixíssimo. Hoje a cooperativa vende o quilo do vidro a R$ 4 centavos, o papelão a R$ 20 centavos, e o ferro a R$ 15 centavos. Isso não paga nem o custo operacional da coleta. É por isso que o projeto precisa ser bancado pelas prefeituras, - esclarece Ivan.

 

Hotel La Plage é exemplo de reciclagem no Brasil

 

Funcionando há seis anos no La Plage, o projeto de reciclagem de materiais já rendeu ao hotel o selo de sustentabilidade e diversos prêmios nesse quesito. - O material recolhido no Club La Plage e no hotel é todo separado por um funcionário de sustentabilidade e na praia também tem separadores de materiais. A separação, a pesagem e a reciclagem são feitas diariamente, no próprio hotel. O reciclado orgânico vai para a horta e o que não é reciclável é coletado pela prefeitura. Ivan da Cocare é quem recolhe tudo uma ou duas vezes por semana, dependendo da demanda. As anotações são feitas em uma planilha, com informações que vão direto para o sistema de sustentabilidade do hotel, de. É tudo muito organizado, – ressalta Alessandro, supervisor de hospedagem.

- Quando começamos a reciclar o lixo, nós o vendíamos para a Cocare porque era a coisa normal a ser feita. Esse dinheiro era direcionado para os funcionários e usado nas festas de fim de ano e Páscoa. Só que ao longo do tempo vimos o valor de mercado do lixo descartável despencar. O alumínio que era vendido por R$ 50 centavos há cinco anos hoje só vale R$ 10 centavos. A oferta se tornou grande demais e o preço caiu. Sendo assim, não vendemos mais o lixo, simplesmente o entregamos a ele. O lucro é que o lixo coletado não vai para o aterro sanitário, o que é muito bom para o ambiente e ainda gera renda para o pessoal da cooperativa, - diz Marcos Moreno, gerente administrativo e financeiro.

- O hotel e a Cocare sonham em ter essa coleta seletiva em grande escala no município. Búzios é uma cidade linda, mas temos descartes de lixos irregulares de todos os tipos aqui, como entulhos, lâmpadas e pilhas. Acho que deveria ser obrigatório um local para descartar e uma conscientização geral da população sobre como evitar a contaminação do solo. Os empresários também precisam ter essa conscientização, como a Sra. Beatriz, proprietária do LaPlage tem. A camisa que estou vestindo é toda feita de garrafa pet reciclada, resultado do trabalho que ela realiza na praia de João Fernandes. O Hotel Atlântico e a Pousada Corais e Conchas também estão seguindo esse exemplo. Sobre a coleta domiciliar, ela precisa ser bancada pela prefeitura, uma vez que não temos como atender a demanda de toda a população devido ao custo operacional.  Eu costumo dizer que se a coleta seletiva fosse fácil, todos os municípios do Brasil já estariam fazendo. Se ela fosse lucrativa, as próprias empresas estariam se oferecendo para fazer isso. Mas é uma coisa bem complicada, onerosa e requer investimento, - conclui Ivan.

 

Saiba onde encontrar

Eco Pontos em Búzios

 

Praça da Barracuda

Próximo ao mercado do Mica

 

Manguinhos

Supermercado SóOfertas

 

Rasa

Cemei (Fundação Bem Te VI)

 

Marina

Na reta da Marina

 

Brava

Em frente ao Brava Hotel

Clique e Leia a Versão Online
Jornal Online

>>Colunistas

publicidade

381530.705749.jardimdolago.soter.50537.shoppingmatriz.696594.472198.235504.

Copyright 1995-2010 Jornal Primeira Hora, Todos os direitos reservados.